Área Restrita

Área Restrita para acesso dos nossos clientes.


Acesso ao Webmail

área restrita   |   webmail

Japão ajudará a NASA a construir estação espacial perto da Lua

Cotações e Índices

Moedas - 28/02/2020 16:04:49
  • Nome
  • Compra
  • Venda
  • Comercial
  • 4,498
  • 4,499
  • Paralelo
  • 4,420
  • 4,700
  • Turismo
  • 4,320
  • 4,680
  • Euro
  • 4,948
  • 4,951
  • Iene
  • 0,042
  • 0,042
  • Franco
  • 4,644
  • 4,647
  • Libra
  • 5,734
  • 5,779
  • Ouro
  • 237,690
  •  
Mensal - 03/12/2019
  • Índices
  • Set
  • Out
  • Inpc/Ibge
  • -0,05
  • 0,04
  • Ipc/Fipe
  • -
  • 0,16
  • Ipc/Fgv
  • -
  • -0,09
  • Igp-m/Fgv
  • -0,01
  • 0,68
  • Igp-di/Fgv
  • 0,50
  • 0,55
  • Selic
  • 0,46
  • 0,48
  • Poupança
  • 0,50
  • 0,50
  • TJLP
  • 0,59
  • 0,59
  • TR
  • -
  • -

Obrigações Tributárias do Dia

O que você achou do nosso novo site?
Ótimo
Bom
Regular

Mesmo não financiando a construção da estação lunar Gateway, o Japão fornecerá equipamentos para a base em órbita da Lua que abrigará alojamentos, laboratórios e estações de ancoragem e acoplamento de naves de exploração tanto do satélite como de Marte. A notícia foi dada pelo Comitê de Política Espacial do Japão, ao anunciar que o país embarcou no programa de exploração lunar Artemis, da NASA.
Por conta dos custos, o Japão contribuirá somente com tecnologia na construção do posto avançado na forma de sistemas de suporte à vida e computadores, entre outros equipamentos, além de ceder o HTV-X, seu transportador de carga de última geração, para enviar suprimentos ao Gateway a partir de 2025.
A estação orbital deve começar a ser construída pela NASA em 2022. O Japão tem a oferecer, além de equipamentos, sua experiência com o laboratório espacial Kibo e a nave espacial de carga não tripulada Kounotori. Além do Japão, já se juntaram ao Artemis o Canadá e a Austrália; a Agência Espacial Europeia (ESA) deve fazê-lo em breve.

 

O que é o Programa Artemis?

A longo prazo, o Programa Artemis quer estabelecer a presença humana sustentável na Lua a partir de 2024 e, para isso, a NASA conta com o envolvimento não apenas do governo como também de empresas espaciais norte-americanas e parceiros internacionais. A agência espacial americana criaria as bases para que empresas privadas se estabeleçam na Lua e eventualmente, enviem e deem suporte à vida humana em Marte.
O projeto, ao custo inicial de US$ 22 bilhões. prevê o uso de cargueiros de empresas privadas, da Orion, nave interplanetária construída em uma parceria entre os EUA e a ESA que levará astronautas além da órbita da Terra, e da estação orbital lunar Gateway.

 

Fonte: www.tecmundo.com.br - 23/10/2019

Site desenvolvido pela TBrWeb (XHTML / CSS)
Escritório Contábil Atual  |  Rua Doutor Campos, 241, Centro - Cerquilho SP  |  Fone 15. 3284 1766  |  Fax 3284 3323