Área Restrita

Área Restrita para acesso dos nossos clientes.


Acesso ao Webmail

área restrita   |   webmail

IGP-M sobe 0,54% em dezembro e fecha 2016 com alta de 7,17%, diz FGV

Cotações e Índices

Moedas - 21/02/2020 16:08:41
  • Nome
  • Compra
  • Venda
  • Comercial
  • 4,392
  • 4,393
  • Paralelo
  • 4,330
  • 4,600
  • Turismo
  • 4,220
  • 4,570
  • Euro
  • 4,741
  • 4,744
  • Iene
  • 0,039
  • 0,039
  • Franco
  • 4,469
  • 4,472
  • Libra
  • 5,669
  • 5,673
  • Ouro
  • 228,110
  •  
Mensal - 03/12/2019
  • Índices
  • Set
  • Out
  • Inpc/Ibge
  • -0,05
  • 0,04
  • Ipc/Fipe
  • -
  • 0,16
  • Ipc/Fgv
  • -
  • -0,09
  • Igp-m/Fgv
  • -0,01
  • 0,68
  • Igp-di/Fgv
  • 0,50
  • 0,55
  • Selic
  • 0,46
  • 0,48
  • Poupança
  • 0,50
  • 0,50
  • TJLP
  • 0,59
  • 0,59
  • TR
  • -
  • -

Obrigações Tributárias do Dia

  • 23/Fevereiro/2020
  • ICMS/SCANC | Refinaria de Petróleo e suas bases, nas operações com combustível derivado de petróleo, nos casos de repasse (imposto retido por outros combustíveis).
O que você achou do nosso novo site?
Ótimo
Bom
Regular

O Índice Geral de Preços-Mercado (IGP-M) encerrou 2016 com alta acumulada de 7,17%, abaixo dos 10,54% registrados no ano anterior, segundo dados divulgados nesta quinta-feira (29) pela FGV (Fundação Getulio Vargas).

Em dezembro, o indicador avançou 0,54%, retomando a alta após encerrar novembro com variação negativa de 0,03%. A expectativa em pesquisa da agência de notícias Reuters era de alta de 0,45% em dezembro, na mediana das estimativas.

O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA), que mede a variação dos preços no atacado e responde por 60 por cento do índice geral, registrou avanço de 0,69% em dezembro, depois de ter recuado 0,16% no mês anterior, e fechou o ano com alta acumulada de 7,64%.

Os preços das Matérias-Primas Brutas no atacado aceleraram com força a alta a 1,96% neste mês, contra 0,9% em novembro, terminando o ano com a maior alta acumulada dentro do IPA, de 15,32%.

Já o Índice de Preços ao Consumidor (IPC), que tem peso de 30% no IGP-M, mostrou menor pressão ao desacelerar a alta a 0,2% em dezembro, contra 0,26% em novembro, e fechou 2016 com avanço de 6,25%.

O destaque no mês segundo a FGV foi o grupo Habitação, que recuou 0,62% após alta de 0,26% no mês anterior, ressaltando-se o comportamento do item tarifa de eletricidade residencial. No ano, a maior alta acumulada de preços foi de Despesas Pessoais, de 10,57%.

Por sua vez, o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) subiu 0,36% em dezembro, contra 0,17% no período anterior, acumulando entre janeiro e dezembro variação positiva de 6,35 %.

O IGP-M é utilizado como referência para a correção de valores de contratos, como os de energia elétrica e aluguel de imóveis.

Fonte: economia.uol.com.br

Site desenvolvido pela TBrWeb (XHTML / CSS)
Escritório Contábil Atual  |  Rua Doutor Campos, 241, Centro - Cerquilho SP  |  Fone 15. 3284 1766  |  Fax 3284 3323